VMA: criador de máscara tecnológica revela que Lady Gaga insistiu em usar o acessório mesmo que não fosse obrigada

Lady Gaga foi o grande destaque do VMA 2020, que aconteceu no último domingo, 30. Além de ganhar o prêmio de artista do ano e ser homenageada no Tricon Awards, a artista também chamou a atenção por conta de seus looks icônicos – pode incluir o uso de máscara durante todas as suas aparições.

Leia também:

Na performance de Rain On Me, ao lado de Ariana Grande, Gaga usou o acessório obrigatório no combate a covid-19 em uma versão toda tecnológica feita de LED. O item foi produzido por um time de engenheiros artísticos de Nova York e, segundo eles, foi a própria estilista da cantora que entrou em contato com eles, pedindo para que a máscara inovadora fosse produzida.

Em entrevista à ELLE, James DeVito, um dos integrantes desse time, revelou que Lady Gaga queria uma máscara que mostrasse que ela estava cantando ao vivo. “Ela queria algo que mostrasse que ela estava fazendo isso enquanto estivesse com o rosto coberto”, disse ele.

A máscara reativa a som foi produzida em apenas uma semana e, segundo James, Gaga não era obrigada a usar o item durante sua apresentação, ficando obrigatório apenas aos seus dançarinos. Porém, a artista fez questão de surgir com o acessório de proteção. “Quando Gaga soube, ela estava tipo: ‘Isso envia a mensagem errada ao dizer que, se você está em um certo nível de poder, não precisa se proteger”, conta o engenheiro artístico Dave Sheinkopf.

“Essa é uma preocupação muito importante vindo de alguém que tem tanta influência, particularmente entre as pessoas mais jovens”, continuou ele.

Se Lady Gaga pode usar uma máscara para dançar, cantar e se apresentar, você também pode – e deve – usar uma para ir à padaria ou ao mercado, né? E sem reclamar.

Assista a performance de Lady Gaga e Ariana Grande no VMA:

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close