Torto Arado: 8 motivos para ler essa obra já!

Você deve ter visto a capa deste livro por aí. Talvez saiba um pouco da sua história, reconheça seu autor quando o vê em uma foto. Mas porque Torto Arado, de Itamar Vieira Junior está em todos os lugares?

Leia também:

Bom, quem já leu sabe a resposta. E, se você ainda não leu, apresento uma lista com 8 razões para fazer isso o quanto antes:

  • Publicado pela primeira vez em 2018, fez sucesso dois anos depois, quando ganhou nova edição pela editora Todavia (e a capa ilustrada que você está vendo em todos os lugares – aliás, arte de Linoca Souza) e recebeu o Prêmio Jabuti de Livro do Ano, entre outros prêmios importantes.
  • Torto arado mostra que, apesar da abolição da escravatura, as relações de trabalho no interior do Brasil – em especial dos afrodescendentes no sertão nordestino, onde se passa a história – não mudou muito. Trabalhar em troca de moradia e terra para plantar o que comer, vivendo sob constante preocupação de perder o pouco que se tem, ainda é uma realidade.
  • Realidade essa que Itamar Vieira Junior é especialista para falar, pois a viu com seus próprios olhos. Nascido em Salvador, ele é geógrafo e trabalhou por 15 anos como analista agrário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). As relações de trabalho e posse de terras são coisas que ele conhece muito bem.
  • A obra tem um pé no realismo mágico, com acontecimentos que só se explicam pela fé e pela magia popular. Conta a história de duas irmãs, Bibiana e Belonísia, que nascem nas terras da fazenda Água Negra, onde os pais vivem e trabalham há anos. 
  • Crianças, a dupla decide investigar o que a avó, Donana, guarda em uma mala embaixo de sua cama. Elas vão encontrar um objeto que mudará para sempre o destino das irmãs, unindo-as ainda mais.
  • Além de abordar as questões de trabalho e moradia no sertão nordestino, Torto arado também trata de questões fundamentais, como família, ancestralidade e senso de pertencimento. É uma leitura na qual é possível se identificar em vários momentos.
  • A obra está há quase 20 semanas na lista de livros mais vendidos no Brasil – e o buzz só cresce. Você que, como eu, era rato ou rata de livraria antes da pandemia: quando foi a última vez que você viu uma ficção nacional na entrada da loja, exposta como um best seller? Esse é o impacto de Torto arado, que já vendeu mais de 100 mil exemplares e contando.
  • É possível que logo possamos ver Torto arado nas telinhas! Os direitos audiovisuais do livro foram adquiridos pela produtora Paranoid, mas ainda não sabemos se será feita uma adaptação em filme ou série para streaming – o que importa é que queremos para já!

Para encerrar, um dos meus trechos favoritos do livro. Quem fala é dona Salu, mãe de Bibiana e Belonísia, em conversa com a esposa do dono da fazenda:

Fui parida, mas também pari esta terra. Sabe o que é parir? (…) Uma vida que irá continuar mesmo quando você já não estiver mais nesta terra de Deus? Não sei se a senhora sabe, mas eu peguei em minhas mãos a maioria desses meninos, homens e mulheres que a senhora vê por aí. Sou mãe de pegação deles. Assim como apanhei cada um com minhas mãos, eu pari esta terra. Deixa ver se a senhora entendeu: esta terra mora em mim.

E aí, ficou curiosx para ler Torto arado? Já leu? Então vem conversar comigo nos comentários!

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close