Positividade tóxica e os seus efeitos negativos na saúde mental

Nós sabemos que estamos em um período em que manter o pensamento positivo é essencial dentre tantas notícias ruins e incertezas sobre o futuro. Porém, esse tipo de mentalidade pode virar uma pressão com as constantes mensagens positivas sobre felicidade que nos deparamos ao rolar o feed do Instagram, por exemplo. Parece que “se sentir bem” virou uma imposição. Afinal, existe positividade tóxica?

Leia também:

A forçação da positividade

Forçar a positividade não é a melhor maneira de ajudar outras pessoas que estão passando por um momento difícil e pode até ser prejudicial. O termo “positividade tóxica” nada mais é do que o conceito de se você focar nas emoções positivas ignorando as sensações negativas vai encontrar a melhor maneira de viver a vida. Não é bem assim.

“Pode haver efeitos de longo prazo da positividade tóxica, incluindo encorajar uma pessoa a permanecer em silêncio sobre suas lutas”, disse Heather Monroe, assistente social clínica e diretora de desenvolvimento de programas do Newport Institute, ao Huffington Post britânico. “Sentir-se conectado e ouvido por outras pessoas é um dos antídotos mais poderosos para a depressão e a ansiedade, enquanto o isolamento alimenta esses problemas emocionais. Frequentemente, tentar esconder ou negar sentimentos pode levar a mais estresse no corpo e maior dificuldade em evitar emoções perturbadoras.”

Ao invés de ignorar os sentimentos negativos, que tal usar as suas experiências para construir resiliência? Assim, poderemos lidar melhor com situações semelhantes no futuro. “Um melhor bem-estar não deve se concentrar apenas em ser feliz, porque nega experiências de construção de resiliência”, diz o psicoterapeuta clínico Noel McDermott ao Refinery29.

Positividade na pandemia

As constantes mensagens positivas e posts incentivando sentimentos otimistas invadiram as redes sociais durante a pandemia do novo coronavírus. Quem não foi bombardeado – porque essa é a palavra que mais descreve essa sensação – de posts de incentivo a passar mais tempo com nossa família, entrar em forma, escolher um hobby, aprender um novo idioma e ser produtivo na quarentena? Isso é positividade tóxica.

“Um dos maiores exemplos de positividade tóxica está na área de negação da natureza traumática da pandemia”, disse Noel McDermott, psicoterapeuta em Londres, ao Huffington Post. “Você vê isso quando as pessoas apenas promovem a experiência positiva do bloqueio.”

Esse excesso de positividade e cobrança no meio da pandemia passa a linha de pensamento de que, se você não está sendo produtivo em meio ao período de isolamento, você está fazendo isso errado. Isso deslegitima as preocupações reais que devemos ter em um momento como esse, como as preocupação com sua saúde, de sua família e amigos, a situação financeira…

Como ajudar alguém

Ao invés de tentar espalhar a positividade quando um amigo ou familiar estiver em um momento difícil, procure apenas ouvir a pessoa com interesse. “Espelhar a tristeza com a nossa própria infelicidade ajuda as pessoas a se sentirem compreendidas e apoiadas”, aponta a Dra. Daria Kuss, professora associada de psicologia na Nottingham Trent University, ao Refinery29. “Se você está tentando ajudar alguém, o mais importante não é resolver o problema, mas ouvir com atenção e espelhar.”

“Quando alguém compartilha sentimentos negativos com você, em vez de correr para fazer essa pessoa se sentir melhor ou pensar mais positivamente (‘Tudo vai ficar bem’), tente levar um segundo para refletir sobre seu desconforto ou medo e faça o possível para ouvir”, indica Stephanie Preston, professora de psicologia da Universidade de Michigan, nos EUA, à BBC.

“Estar em uma situação emocionalmente difícil já faz as pessoas se sentirem sozinhas e isoladas. Quando outros tentam silenciar essas emoções, especialmente amigos e familiares, dói muito. Ouvir alguém que está sofrendo pode fazer uma grande diferença na vida da pessoa.”

Agora, se o “alguém” que precisa ser ajudado é você mesmx, procure deixar sentir as emoções negativas e positivas e não se culpe por estar passando por isso. Seja realista.

Uma dica interessante é fazer um diário antes de dormir ou sempre que estiver se sentindo sobrecarregado ou com sentimentos negativos. A terapeuta Jenny Maenpaa conta que quando pensamos sobre nossos medos ou ansiedades, nosso cérebro os codifica como importantes e os mantém na linha de frente. Ao anotar esses sentimentos, mesmo que não possamos fazer nada a respeito deles, dizemos aos nossos cérebros que está tudo bem deixá-los ir porque estão sendo cuidados.

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close