Pobreza menstrual: o que é e como ajudar a combatê-la?

A menstruação é um evento cíclico marcante que faz parte da vida de todas as mulheres. E a higiene íntima nesse período já é muito conhecida e costuma ser tratada com naturalidade por elas, certo!? Bom, não por todas… A pobreza menstrual é uma realidade que PRECISAMOS falar sobre.

O que é?

Em um mundo repleto de desigualdade, os efeitos socioeconômicos deixam suas marcas nas mulheres que, por falta de recursos e/ou conhecimento, não tem acesso a produtos básicos que são essenciais durante o período de menstruação.

Leia também:

Imagine a situação: você percebe que o seu período menstrual iniciou, mas não possui nada para te amparar, como absorventes descartáveis, coletores menstruais, calcinhas absorventes, saneamento básico, água encanada… Essa realidade tem o nome de pobreza menstrual e afeta milhões de meninas e mulheres por todo o mundo.

Foto: Unsplash

Quais são as consequências da pobreza menstrual?

Esse cenário traz à tona, além da grande desigualdade, a privação de direitos básicos que consta como direito assegurado na Constituição brasileira. É direito de todo cidadão ter acesso a infraestrutura e instalações operacionais de abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, drenagem urbana, manejos de resíduos sólidos e de águas pluviais.

Entretanto, a realidade é muito diferente. Atualmente, segundo a ONG Trata Brasil, 1,6 milhões de brasileiros não tem sequer um banheiro em casa, 15 milhões não recebem água tratada e 26,9 milhões moram em lugares sem presença de esgoto.

Além disso, o absorvente no Brasil é tributado como item de luxo, o que impede que ele seja considerado um item de higiene básica e dificulta ainda mais o acesso das mulheres ao produto.

Dessa forma, muitas meninas deixam de frequentar a escola durante os 7 dias de menstruação todos os meses, o que a longo prazo afeta o acesso adequado a educação e eleva cada vez mais a diferença de gênero no país.

Outra consequência extremamente perigosa causada pela “pobreza menstrual” são os problemas de saúde, já que para substituir o absorvente, a solução que muitas mulheres encontram é fazer o uso de jornais, panos, reutilizar absorventes descartáveis e até mesmo usar miolo de pão para conter o sangramento.

“O uso de inadequados durante a menstruação é muito perigoso, podendo levar ao desenvolvimento de infeções geniturinárias e, a longo prazo, interferir na fertilidade dessas mulheres”, comenta Camila Rassati, Ginecologista e Obstetra na Clinica FR.

Foto: Unsplash

Como posso combater?

  • Apoie iniciativas de arrecadação de produtos de higiene

Ajudar instituições que tem o objetivo de diminuir os impactos da pobreza menstrual é um grande e importante passo para combater o problema. Para te ajudar, separamos três ONGs que lutam a favor dessa causa:

Projeto Absorvidas

Fluxo sem Tabu

Mulheres por elas

  • Busque informação e informe outras pessoas sobre o assunto

Quanto mais pessoas passarem a conhecer a pobreza menstrual, mais o assunto se tornará pauta e com isso, mais pessoas saberão da dimensão do problema e mais pessoas ao nosso redor se identificarão com a causa e se mobilizarão.

  • Lute pela criação de políticas públicas

É nosso direito cobrar projetos que assegurem o acesso a higiene menstrual a todas as mulheres, cobrar que o absorvente deixe de ser considerado um artigo de luxo e cobrar que o saneamento básico passe a chegar a toda a população.

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close