Festa junina: 3 formas de entrar no clima com livros

Está aberta a temporada de festa junina, sô! Eu amo um arraial, uma quermesse.. mas, com a pandemia, teremos novamente um mês de Junho #emcasa.

Leia também:

Só que isso não é problema para quem quer entrar no clima junino; a seguir, apresento três formas de trazer as fogueiras, as quadrilhas e toda a diversão desta época do ano através dos livros. Prepare seu arroz doce, sua canjica, pegue amendoim e paçoca, se aconchegue no sofá com uma caneca de quentão e bora ler!

1. Lendo um clássico da literatura brasileira

Nossa literatura está cheia de passagens que descrevem festas juninas. Em São Bernardo, um dos romances mais conhecidos de Graciliano Ramos, o autor descreve uma festa junina:

“Nas noites de São João, uma fogueira enorme iluminava a casa de seu Ribeiro. Havia fogueiras diante das outras casas, mas a fogueira do major tinha muitas carradas de lenha. As moças e os rapazes andavam em redor dela, de braço dado. Assava-se milho verde nas brasas e davam-se tiros medonhos de bacamarte. O major possuía um bacamarte, mas o bacamarte só desenferrujava nos festejos de São João.”

Já em Estrela da vida inteira, livro de Manuel Bandeira, encontramos o poema “Profundamente”, que narra as lembranças de infância das festas de São João – nostalgia mode on:

“Quando ontem adormeci
Na noite de São João
Havia alegria e rumor
Vozes cantigas e risos
Ao pé das fogueiras acesas.
No meio da noite despertei
Não ouvi mais vozes nem risos
Apenas balões
Passavam errantes
Silenciosamente”

2. Lendo um young adult fofo

Quer matar a saudade de uma boa quermesse? Daquelas que você ia com as amigas da escola, com barracas de comidas típicas, de brincadeiras e o famoso “correio elegante”? Então se jogue na leitura de Correio nada elegante, de Marina Oliveira.

Vamos acompanhar a história de Rie, que vai acabar se tornando voluntária na festa junina da paróquia Santo Antônio como castigo por ter sido pega matando aula. No entanto, o que começa como um castigo vai se tornar uma diversão e também um mistério, já que a jovem começa a receber mensagens de correio elegante de um admirador secreto. Uma história super fofa sobre adolescência, amizade e inclusão.

Correio nada elegante está disponível em e-book na Amazon; se você for assinante do serviço Kindle Unlimited, pode ler de graça. 🙂

3. Descobrindo a literatura de cordel

Você conhece a literatura de cordel? As histórias rimadas e musicadas sobre os mais diversos assuntos do cotidiano, distribuídas em folhetos coloridos ou recitadas pelos repentistas, vão te levar imediatamente para o clima de quadrilha. 

A literatura de cordel se tornou popular no Brasil por volta do século 18, mas sua origem vem dos trovadores medievais portugueses – o grande diferencial dessas histórias é a oralidade. São contos em versos, que todo mundo pode compreender e se divertir.

No site da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, é possível ler digitalmente vários títulos, sobre diferentes temas: tem cordel sobre Lampião, sobre as cidades do Sertão, sobre lendas do nosso folclore, sobre histórias bíblicas e até sobre Big Brother! Escolha um e divirta-se.

Gostou das dicas? Qual será sua leitura de festa junina? Conte nos comentários, vou adorar saber 🙂

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close