CoronaVac: tudo o que você precisa saber sobre a vacina

No mesmo dia em que o Brasil atingiu a triste marca de 200 mil mortes pela covid-19, nesta quinta, 7, o Instituto Butantan, de São Paulo, revelou a taxa de eficácia da vacina Coronavac, produzida em parceria com o laboratório Sinovac, da China. O imunizante, que deve começar a ser aplicado no estado a partir de 25 de janeiro, possui 78% de eficácia e 100% contra casos graves da doença.

Leia também:

Em meio a dados tão animadores e uma boa dose de otimismo, ainda existem algumas dúvidas naturais: o que é a CoronaVac? Como ela foi desenvolvida? Quando os jovens da minha idade vão poder tomá-la? Reunimos as principais dúvidas sobre a vacina rolando a página pra baixo. Vem ler:

O governador de São Paulo, João Doria, segurando uma das doses da vacina CoronaVac

Como a CoronaVac funciona?

A vacina do Instituto Butantan usa o vírus inativado, ou seja, que foi exposto em laboratório a calor e produtos químicos para que não se reproduza. Ao recebermos o imunizante, não ficaremos doentes, mas iremos gerar uma resposta imune e criar no nosso organismo uma memória que vai nos defender da doença causada pelo coronavírus.

Esse tipo de tecnologia já é conhecido. Vacinas contra a gripe e hepatite A também a usam.

Quantas doses da vacina são necessárias?

A vacina do Butantan necessita de duas doses, sendo que a segunda será aplicada entre 14 e 28 dias após a primeira.

Qual é a taxa de eficácia?

Entre as pessoas que receberam a vacina durante a fase de testes, não houve nenhum caso grave que necessitasse internação ou resultasse em morte. De todos os voluntários testados, 22% contraíram o vírus, porém em formas muito leves. Os casos foram totalmente prevenidos em 78%.

Quais são os próximos passos?

Com a taxa de eficácia divulgada, o Instituto Butantan entrou com pedido de uso emergencial da CoronaVac na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Isso fez com que a vacina fosse a primeira a pedir o registro em território nacional. A partir de agora, o órgão tem 10 dias para aprovar ou não o imunizante.

Como será a aplicação da vacina?

Segundo João Doria, governador de São Paulo, a campanha de vacinação vai se iniciar no dia 25 de janeiro para grupos prioritários. Primeiro, serão vacinados profissionais da saúde, indígenas e quilombolas. Em seguida, idosos acima de 60 anos. A previsão é que 9 milhões de pessoas sejam vacinadas até março.

A CoronaVac será aplicada no Brasil inteiro?

Sim. O Ministério da Saúde confirmou a compra de 100 milhões de doses da CoronaVac que serão distribuídos em todo o Brasil, iniciando por grupos prioritários. As primeiras 46 milhões serão entregues até abril. Segundo Eduardo Pazuello, ministro da saúde, a vacinação começará entre 20 de janeiro e início de março.

Quais países vão usar a CoronaVac?

A vacina ainda não obteve o registro na China, porém está sendo usada em caráter emergencial. A Indonésia, Chile e Turquia também anunciaram a compra do imunizante.

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close