Como as máscaras passaram de item necessário para acessório fashion?

Com o avanço da pandemia do novo coranavírus no Brasil, o uso de máscara passou a ser obrigatório em boa parte do país. Segundo especialistas, o item diminui consideravelmente a taxa de contágio da doença. “Eu acho que a máscara, sim, é eficiente. E é muito importante que quem tenha sintomas use-a”, ressalta o infectologista Mario Gonzalez, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, ligado à USP.

Leia também:

Assim sendo, várias marcas de moda – como Amaro, Marisa e Renner – se prepararam para uma produção em massa de máscaras estilizadas. Já conseguimos encontrar por aí peças estampadas, coloridas e com desenhos de personagens famosos, como Hello Kitty e Mulher-Maravilha.

Em apenas alguns meses, a máscara passou por décadas de mudança – o mesmo tipo de transformação que aconteceu com a camiseta ao passar de parte do uniforme da Marinha para uma das peças mais presentes no nosso guarda-roupa.

Enquanto parte dos setores da economia estão em queda por conta da pandemia, o mercado de máscaras é um dos que mais crescem em 2020.

Apesar disso, usar esse tipo de item é inerentemente assustador – um lembrete da ameaça mortal invisível que invadiu e perturbou dramaticamente nossas vidas. Os designers por trás dessas novas máscaras elegantes as vêem como um reflexo da personalidade do usuário e um possível ponto brilhante em meio à escuridão. “Parecia que havia uma necessidade”, diz Hillary Taymour, designer da Collina Strada, em entrevista à GQ. “Eu estava usando máscaras coloridas brilhantes andando pela rua diariamente e parecia mais feliz. Então, por que não levar isso ao público em geral?”

Dana Thomas, autora de Fashionopolis: O preço da moda rápida e o futuro das roupas, descreveu a maneira como os varejistas de moda estão se adaptando à pandemia como “muito inteligente”. “Os governos exigirão que você use máscaras quando entrar em uma loja para fazer compras, então vendê-las no local é um negócio inteligente”, disse ela ao iNews.

“Máscaras também se tornarão itens de moda”, acrescentou. “Vamos usá-las como óculos de sol, camisetas ou até bolsas.

É realmente eficaz?

Apesar da produção em larga escala por parte dessas marcas, fica a dúvida se essas máscaras de tecido realmente são, além de estilosas, realmente eficazes para nos protegermos do vírus. “Muitas, se não a maioria das máscaras da moda são quase inúteis, pois não impedem a propagação de gotículas quando tossimos por causa da natureza do material”, alerta o especialista em varejo Andrew Busby, fundador e CEO da consultoria Retail Reflections.

Segundo especialistas, a combinação de algodão com seda natural ou chiffon foi a que se mostrou mais eficaz para evitar que gotículas contaminadas entrem em contato com suas mucosas.

Exerça a empatia: use máscaras!

O fato de ser uma necessidade médica prescrita pela OMS (Organização Mundial da Saúde) torna a máscara algo muito diferente de uma camiseta. Usar o acessório cria uma relação de empatia com as pessoas ao seu redor, muito mais do que proteger a si mesmo.

Se há algo bom a dizer sobre a estilização do item é que transformá-lo em algo fashion, desejável e bonito de usar pode incentivar as pessoas a realmente levar a recomendação à risca – e diminuir cada vez mais o nível de contágio da covid-19.

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close