Como a pandemia do coronavírus afetará os relacionamentos de agora em diante

Fotos: Unsplash

É claro que todos nós queremos que a vida volte ao normal o mais rápido possível depois da pandemia do novo coronavírus. Mas aí vai um aviso: após meses de auto-isolamento e ansiedade, o distanciamento social provavelmente afetará os namoros a longo prazo. E isso não é necessariamente uma coisa ruim.

Em vez de cumprimentar o/a crush com um beijo ou abraço, talvez as pessoas mantenham distância por um tempo nos primeiros encontros. Até você conhecer alguém a fundo, talvez não sinta a necessidade de se apressar em uma conexão mais forte. E, embora muitos daters provavelmente continuem se comportando como normalmente, o medo provocado pela pandemia pode continuar pairando no alto.

“Caberá a cada indivíduo decidir que conselho ouvirá e como procederá com o namoro e a socialização”, diz Lynell Ross, uma treinadora certificada em saúde e bem-estar, especialista em mudança de comportamento e especialista em relacionamentos, ao Bustle.

Após a pandemia, especialistas acreditam que dates e primeiros encontros poderão perder a força. À medida que as pessoas substituem as reuniões presenciais por conversas on-line, o ritmo do namoro diminui gradualmente. E essa é uma tendência que continuará no futuro.

Aqueles que procuram relacionamentos sérios verão os benefícios de conhecer um pouco melhor seus parceiros antes de se jogarem de cabeça em uma relação – o que é ótimo, né? O que eles querem para o futuro? Quais são os seus gostos e desgostos? Conversando on-line e tendo essas discussões logo no início, elas receberão suas respostas antecipadamente – certifique-se, também, que essa pessoa também cumpriu o isolamento social da forma correta, hein!?

Se você acabou conhecendo alguém durante a quarentena, os especialistas acreditam que seu relacionamento provavelmente terá um bom começo. “Saindo disso, os casais se sentirão mais conectados e ligados e mais fortes em geral”, diz Jaime Bronstein, psicoterapeuta e assistente social clínico.

Outra coisa: as pessoas também serão muito mais exigentes para com os seus parceiros. Chega de se contentar com migalha, miga! Uma hora ou outra, relacionamentos e encontros voltarão a ser como eram antes da pandemia, porém com a certeza de que você estará ainda melhor em escolher melhor potenciais parceiros daqueles com os quais não tem nada em comum.

O “namoro lento”, ou seja, conversas diárias e virtuais antes de conhecer o pretendente pessoalmente pode resultar em algo muito positivo para futuros casais. Podemos dedicar tempo a aprofundar-nos com uma pessoa de cada vez – dar a cada pessoa uma chance adequada.

Psiquiatras acreditam que o medo e a cautela em se envolver com alguém existirá até quando uma vacina ou tratamento 100% eficaz esteja disponível para a COVID-19. “Algum nível de cautela pode estar fervendo em segundo plano, mas se alguém é ou não vacinado contra a doença provavelmente não estará no topo das mentes das pessoas daqui a três anos”, disse a Dra. Margaret Seide , certificada pelo conselho de psiquiatria. “Os daters serão seletivos sobre com quem estão dispostos a se encontrar.” E isso pode significar fazer perguntas mais pessoais, incluindo sua linha de trabalho e com quem elas vivem. “As pessoas estarão avaliando seus fatores de risco de exposição antes de conhecê-lo”, diz ela. “Isso é razoável; é um mundo novo.”

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close