Aos 27, Carol Macedo celebra 20 anos de carreira

Em 2020, Carol Macedo completa 20 anos de carreira. Tal feito alcançado por uma atriz tão jovem é de se dar orgulho. Neste mesmo ano, ela pôde ser vista no ar em duas novelas da Tv Globo: Malhação: Viva a Diferença e Fina Estampa, que acabou na última sexta (18). Na trama das oito, ela interpretou uma das personagens mais marcantes de seu já vasto currículo: a funkeira Solange.

Foto: Sergio Baía

Em Éramos Seis, de 2019, seu último papel na TV, Carol interpretou uma jovem que se tornou inspiração para muitas garotas. A personagem era determinada, pagou sua faculdade e ganhava o seu próprio dinheiro. Com o passar da trama, ganhava mais e mais destaque.

A estreia na TV

Carol é paulistana e estreou na TV em 2010 na novela Passione, da Globo. Na trama, ela interpretava Kelly, uma menina que era explorada pela avó e obrigada a se prostituir. O trabalho lhe rendeu indicação como Atriz Mirim Revelação no Melhores do Ano, do Domingão do Faustão.

Pela sua bagagem, talento e determinação, Carol é, certamente, um dos rostos para ficarmos de olho na TV.

Leia também:

Leia a entrevista completa com a nossa estrela de capa:

DOMÍNIO POP: Conta pra gente do começo: como a TV chegou na sua vida?
Carol Macedo: Comecei a trabalhar com 6 anos de idade. Meus pais me contam que eu sempre pedi para estar “dentro” da TV.  Naquela época eu apontava e dizia que queria estar ali também junto com aquelas pessoas que assistia. Foi então que eles foram atrás de uma agência de atores infantil e começaram a investir em aulas de teatro, dança, sapateado e tudo que pudesse contribuir para a minha carreira. Desde então não quis saber de fazer outra coisa que não fosse atuar.   

Solange, de Fina Estampa

Como foi se se assistir em Fina Estampa depois de tanto tempo?
É muito bom acompanhar com calma, sem aquela pressão diária (muitas vezes imposta por mim mesma) em relação a minha interpretação. Sempre consigo enxergar alguma coisa que poderia fazer melhor e normalmente foco no detalhe para poder evoluir na próxima cena. Agora assistindo novamente eu tento respeitar a maneira como aquela menina de 18 anos imaginava ser a personagem. Aproveito para curtir mais a história e também enxergar a minha evolução até os dias de hoje.

Em sua carreira, você saiu de um personagem e entrou em outro bem rápido. Achou esse processo desafiador?
Em todos os meu trabalhos tive a sorte de fazer personagens com personalidades e características bem diferentes umas das outras. Isso ajuda, mas o estudo e comprometimento de entender quem é aquela pessoa e dar vida a ela, vai ser sempre desafiador, seja emendando trabalhos ou não. No meu caso, quanto mais desafio melhor! Ele acaba se tornando o meu combustível para continuar fazendo o que faço com amor há tantos anos. 

Do começo da sua carreira até hoje: o que mudou na Carol?
Comecei na minha primeira novela como uma menina de 16 anos e hoje sou uma mulher de 27 anos. Além do amadurecimento, tanto na vida pessoal quanto na profissional, veio também a certeza do que quero para meu futuro. A arte faz parte da minha vida. A cada personagem me sinto mais completa e cada vez mais certa do meu lugar no mundo. 

Qual foi o seu maior sonho realizado? E o maior desafio?
Com certeza fazer uma novela na Tv Globo. Foi o meu maior sonho realizado e também o maior desafio. Tive a sorte de não apenas fazer a minha primeira novela no horário nobre, mas também de poder dar vida a uma personagem tão complexa e rica em desafios, como a Kelly de Passione

Foto: Sergio Baía

O que ninguém sabe sobre você?
Hoje em dia, por ser muito ativa nas redes sociais, é bem difícil deixar de mostrar alguma qualidade ou algum tipo de hobby. O que talvez eu não mostre tanto é o meu lado curioso em aprender coisas novas. Um exemplo é ser um “faz tudo” aqui em casa, onde ao invés de chamar um profissional especializado para eventualmente consertar alguma coisa quebrada, eu primeiro tento aprender e consertar sozinha. Sou também um pouco autodidata, aprendi alguns ritmos de dança e também a tocar alguns instrumentos sozinha. O último foi o teclado, pesquiso músicas que gosto e aprendo a tocá-las. 

Você tem algumas mulheres como referência no meio em qual trabalha? Quem são?
Posso dizer que todas as mulheres que já trabalhei de alguma forma são referências para mim. Se não eram antes de conhecê-las pessoalmente, acabaram se tornando depois. Durante a minha trajetória na Tv tive grandes nomes como parceiras de cena, como Dira Paes, Vera Holtz, Gloria Pires, Mariana Ximenes, entre muitas outras. Com todas elas aprendi muito. 

Como tem sido o isolamento social? O que tem feito para minimizar os danos da pandemia?
Agora que estou em casa, estou conseguindo organizar melhor a minha rotina. Voltei a praticar algumas coisas, como o inglês e a dança, e estou fazendo aulas online de assuntos que sempre tive vontade de aprender (como por exemplo, reiki). Aproveito para estudar e pesquisar conteúdos que possam me trazer algum tipo de aprendizado. Tento levar esse momento difícil que estamos vivendo para um lado positivo, me conectando com energias que me trazem calma e bem estar através da meditação e oração.

Quais são as suas metas pós-quarentena?
Estamos vivendo em um momento muito único em que não temos certeza de quando tudo isso irá acabar. Então, por enquanto, estou tentando aproveitar esse momento de uma maneira mais produtiva, me auto conhecendo e tentando evoluir ainda mais como ser humano e deixando as coisas fluírem o seu caminho natural.

Beleza: Lucas Almeida 
Styling: Patrícia Bastos 

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close