A ONU alerta: crise climática mundial é “irreversível”

As indústrias, a agropecuária, especulação imobiliária, mineração e outros negócios estão crescendo cada vez mais. Mas a preço do que? Já passou da hora de entendermos que não existe desenvolvimento sem meio ambiente. E quem vão sofrer as consequências somos nós!

Leia mais:

O planeta está em apuros… e a culpa é nossa!

A ONU fez um alerta urgente, no início desta semana, durante o painel sobre mudanças climáticas. A organização afirmou que o mundo está perto de um aquecimento fora do controle, já que os gases de efeito estufa estão em níveis tão altos a ponto de prejudicar o clima global por décadas, ou até séculos. Foi apresentado um relatório, baseado em 14.000 estudos científicos, que aponta que os resultados negativos são “inequivocamente” culpa dos humanos.

Uma mudança climática bastante preocupante que chamou muita atenção foram as fortíssimas ondas de calor no Canadá que chegaram até a causar mortes. De acordo com o secretário-geral da ONU, António Guterres, o relatório representa um “alerta vermelho para a humanidade”. Os dados apontam que o calor letal e outros fenômenos naturais, como furacões gigantes, tendem a se tornar cada vez mais severos.

Guterres também falou sobre algumas medidas que precisam ser tomadas para amenizar os problemas. “Este relatório deve soar como uma sentença de morte para o carvão e os combustíveis fósseis, antes que destruam nosso planeta.”

Daqui a 3 meses, acontecerá, em Glasgow, na Escócia, a conferência climática COP26, uma das mais importantes do mundo. Espera-se que com a pressão do relatório que saiu essa semana, os países tomem decisões mais efetivas para conter a crise climática.

A crise climática chegou no Brasil

Os estudos científicos mostram que o Brasil também vai sofrer com as mudanças climáticas. Aliás, os dados apontam que a América do Sul terá um aumento de temperatura maior que a média global, resultando em mais chuvas no Sul e mais seca no Nordeste.

Não foi só o Canadá que surpreendeu com fenômenos climáticos anormais. Cidades no interior de São Paulo receberam chuvas de granizo que a região nunca havia testemunhado, assim como dias de fortes geadas. Algumas madrugadas de julho atingiram 2°C, temperatura extremamente fria para o Sudeste.

Infelizmente, mesmo com esse alerta vermelho, o governo federal do Brasil é conhecido por não ter a agenda ambiental como prioridade. O descaso com o desmatamento e queimadas na Amazônia é uma preocupação mundial e vários líderes políticos já demonstraram discordância e até uma inimizade com o Presidente Bolsonaro, como foi o caso do presidente francês Emmanuel Macron.

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close