Como eu lidei com a ansiedade em meu primeiro emprego?

Foto: Projetado pelo Freepik

A primeira coisa que faço de manhã, ainda deitada na cama, é checar as minhas redes sociais e e-mails. É quase sempre uma chuva de mensagens me pedindo para fazer coisas do trabalho e às vezes propostas bem interessantes e bacanas para minha carreira. O problema é: por que eu me sinto tão ansiosa e nervosa para uma coisa da qual eu deveria ficar feliz?

Leia também:

Este basicamente é o meu primeiro emprego. Sou editora de vídeos e consegui a vaga e forma de trabalho que sempre sonhei – trabalho de casa, o que me possibilita pegar outros trabalhos da área também. Tudo poderia estar ótimo em minha vida se não fosse pela ansiedade. É fato que até mesmo algo bom pode enchê-la de pavor e pânico: como vou lidar com essa coisa importante?

A maior parte dos meus dias é gasta com um medo de que algo de ruim vai acontecer a qualquer momento. Postergar a resposta de uma proposta de trabalho – que deveria me deixar super animada – faz parte da minha rotina. Assim que a mensagem chega à minha caixa de entrada, uma linha familiar de ansiedade é posta em movimento. Eu penso demais na resposta de e-mail de confirmação? Será que eu devo responder esse e-mail de forma mais calorosa? Mas essa pessoa não é minha amiga, será que devo ser mais fria? Será que devo demonstrar empolgação?

Dizer isso em voz alta só mostra pra mim o quão problemática a minha ansiedade pode ser. E descobri isso em uma conversa com um amigo que cursa psicologia. Ele me disse que eu preciso mandar na ansiedade, e não o contrário. Em outras palavras, se esse sentimento ansioso me faz sentir como um disco quebrado, eu preciso realmente fazer alguma coisa – qualquer coisa! – para quebrar a repetição.

Pare de dormir com o telefone embaixo do travesseiro. Não olhe as redes sociais e caixa de e-mails assim que acorda. Vá fazer um exercício físico. São tantas frases que eu repito pra mim todos os dias que poderia escrever um livro delas.

Essa repetição positiva de frases motivadoras me fez controlar melhor os meus altos níveis de ansiedade no trabalho. Eu sempre vítima da procrastinação. Sempre adiei terminar de realizar tarefas por medo e receio de como elas ficariam e se as pessoas que a leriam aprovariam ou não. Que coisa louca? Não, isso é puro fruto da ansiedade mesmo.

Toda essa experiência me mostrou que eu posso romper o ciclo de me sentir incapaz de lidar com coisas que considero “difíceis” – e isso é totalmente determinante para o meu processo criativo fluir ou não.

É pura realidade que eu começo a me sentir ansiosa sobre as tarefas no momento em que elas caem no meu colo e essa ansiedade piora quanto mais tempo eu deixo as tarefas de lado. Então, se você quer se poupar semanas sentindo-se um lixo improdutivo, a única coisa lógica a fazer é começar e se livrar logo desse sentimento ansioso.

A partir do momento que eu descobri que procrastinar só me deixaria mais tensa e ansiosa, eu comecei a estabelecer metas de recompensa: se eu terminar esse trabalho em duas horas eu me permito comprar um pedaço do meu bolo de chocolate favorito ou assistir a dois episódios da minha série predileta. 

Sério, por pior que seja esse método de recompensas, foi o que mais me ajudou a realizar tarefas que me deixavam ansiosas. E, sim, com o tempo eu reparei com meus níveis de tensão e estresse diminuíram – tudo acompanhado de muita terapia, é claro.

É normal se sentir ansioso em qualquer etapa da vida profissional, mas o importante é respeitar os seus limites e saber que se você deixar a procrastinação de lado, os seus níveis de tensão vão cair drasticamente. Essa é a maior lição que ser que uma garota ansiosa me ensinou.

 

Texto enviado por leitora. Quer contar a sua história? Mande e-mail para contato@dominiopop.com

Comments

comments

Leave a Reply
Your email address will not be published. *

Click on the background to close